NoSQL: da teoria à prática - parte 1

Bancos de dados NoSQL já foram vistos no passado por alguns profissionais mais conservadores como modinha. Hoje no entanto são uma ferramenta fundamental para aplicações que exigem escalabilidade, e nesta série de posts, vamos conhecer um pouco mais sobre eles.

A área da computação experimentou profundas mudanças nos últimos anos.

Uma das mais significativas foi o advento do Cloud Computing. A pouco menos de 10 anos, a "nuvem" era somente uma opção que alguns gestores consideravam para algumas aplicações, enquanto que hoje em dia é praticamente a única opção da grande maioria das empresas. Mesmo empresas com uma estrutura tecnologica mais consolidada tem recorrido à nuvem, e algumas com mais recursos estão até criando suas próprias soluções de Cloud Computing.

O Cloud Computing, no entanto, não veio só. Junto com ele outro tipo de solução também emergiu, e ganhou muita força nos últimos anos: Os bancos de dados não relacionais, também conhecidos como NoSQL.

Embora eles constituam uma parte fundamental da stack tecnologica de muitas soluções de grande porte que conhecemos, este tipo de solução ainda não é bem compreendida pela comunidade de tecnologia em geral, e inclusive são muito mal utilizados em diversos cenários, principalmente por entusiastas que acreditam que este tipo de solução é meramente uma sobreposição das soluções relacionais, quando na verdade são bem mais do que isto.

EM ELABORAÇÃO